domingo, 7 de janeiro de 2007

Balanço de 1 ano de presidência na CMS

Na edição de Dezembro de 2006, o Jornal de Sesimbra fez um balanço, com o Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, daquilo que se fez durante o primeiro ano de mandato deste executivo e nas próximas linhas poderemos verificar resumidamente aquilo que se passou.
No dia 26 de Outubro de 2005, Augusto Pólvora tomou posse da CMS. Neste ano e 2 meses fez-se o seguinte:
  • Discussão pública do Plano da Mata de Sesimbra;
  • Apresentação do plano de requalificação da Av. Da Liberdade;
  • Finalização do processo da Quinta do Conde com a aprovação em assembleia municipal;
  • Conclusão da obra da estrada de acesso nascente à vila de Sesimbra onde, também, a obra na Aiana tem um impacto de importância grande ao nível das acessibilidades;
  • Foram melhorados os refeitórios nas escolas e houve intervenções em muitas escolas das chamadas “centenárias”, herdadas pela câmara, com mais de 50 anos, e que tiveram intervenções de fundo. Existe, também, uma pequena revolução em curso e que visa dar melhores condições aos jovens;
  • Apesar das limitações orçamentais, continuou-se com as pavimentações de ruas na Quinta do Conde;
  • Ligação à rede de esgotos do primeiro conjunto habitacional na zona do Zambujal, sendo a primeira ligação já neste novo ciclo de alargamento da rede de saneamento à freguesia do Castelo;
  • Iniciação de um conjunto de intervenções, que foram apresentadas na reunião descentralizada no Zambujal, no âmbito da requalificação urbana;
  • Quanto aos projectos da lagoa de Albufeira, ainda há um conjunto de matérias que estão dependentes da aprovação da Administração Central;
  • Na cultura e no turismo ofereceram-se actividades cultural extremamente interessantes, durante os meses de verão, nomeadamente as associadas às noites no património que tiveram um relevo bastante importante;
  • A Fortaleza de Santiago foi recuperada, ainda que não totalmente, pelos sesimbrenses, o que também é um dado extremamente importante, havendo actividades na Fortaleza, no Castelo, e na Capela do Espírito Santo.
  • A Biblioteca fez um ano, também com um saldo muito positivo das actividades desenvolvidas, com milhares e milhares de leitores e de visitantes. Até ao final deste ano existe a possibilidade de abrir ao público o cinema;
  • Abertura da rotunda do Marco do Grilo, que este ano permitiu descongestionar bastante o trânsito no acesso ao concelho, mas ainda continuam algumas filas na Estrada de Fernão Ferro durante os fins-de-semana de Verão e não só;
  • Existe a possibilidade de um conjunto de obras de maior envergadura a avançar, ao nível das acessibilidades, que foram previamente negociadas entre a CMS e a Estradas de Portugal, e que vão, com certeza, melhorar substancialmente o acesso a Sesimbra e que poderão estar no terreno durante a execução deste mandato se o Plano de Pormenor da Zona Sul for aprovado;
  • Recepção do estudo de tráfego encomendado pela Brisa, para avaliar a possibilidade de construção de um troço com portagem entre a Estrada Nacional 10 e o nó de Coina. Neste momento Coina só tem um nó para Norte, e com os resultados deste estudo, que são muito animadores, pode colocar-se a hipótese de criar um nó também para Sul. A Brisa considera, neste momento, que é perfeitamente sustentável a execução desse nó, desde que haja uma comparticipação, relativamente pequena, do município de Sesimbra ou de promotores associados ao concelho. Aquilo que faltava no nosso plano de acessibilidades para garantir o acesso a uma via como uma auto-estrada poderá ser conseguido com este estudo de tráfego.

Nestas linhas fica claro como água aquilo que preocupa os responsáveis da Câmara. Mais uma vez, tanto dinheiro gasto (algum bem e outro nem por isso) e para a Lagoa de Albufeira nem 1 cêntimo. Os moradores da Lagoa continuam a pagar por tudo aquilo que deveriam ter direito, tal como os outros, e o que parece é que apenas temos deveres e não direitos. Por aqui se vê que alguns são filhos e outros enteados... porquê? É esta a pergunta que deixo no ar e gostava de ver respondida!

1 comentário:

EPA disse...

Caro João
Fez uma pergunta mas não vai obter resposta, são forças ocultas que não deixam que a Lagoa de Albufeira dê um ar da sua graça, senão repare, quem é que ia a Alfarim às compras? quem é que ia para a Praia Meco, sim porque na Lagoa não há onde estacionar, desde que foi feito aquele infeliz acesso à praia, que faz lembrar a obra da colocação de semaforos no cruzamento do Marco do Grilo, a aqual levou uma eternidade de tempo até fazerem esta rotunda que resolveu os problemas daquele cruzamento.Com isto alonguei-me demasiado e possivelmente disse pouco pois muita coisa está mal na Lagoa de Albufeira, Senhores responsáveis vão á Lagoa mas não avisem os responsaveis da Camara senão tapam os buracos à pressa.
A Lagoa tem muitas potencialidades agora se não sai daquele impasse de quem é a culpa? esta deixo no ar.
Epa